Mudança de profissão aos 50 anos de TI para Direito

Aos 45 anos, percebendo que o mercado na área de TI exigia cada vez mais profissionais novos e com salários de início de carreira, resolvi realizar um sonho antigo de prestar vestibular para o curso de Direito. Aos 19 anos quando iniciei a minha carreira na área de tecnologia no Serpro, eu já tinha como objetivo fazer Direito, porém o novo emprego exigia Administração, Economia ou Ciências Contábeis, foi quando para garantir o meu emprego, optei por fazer o curso de Administração. Passei mais de 35 anos trabalhando com empresas de tecnologia e por várias razões me motivaram a investir na especialização em Direito Digital.

Consegui aproveitar a experiência dos muitos anos atuando em empresas como Serpro, Itautec, Stefanini, Atos Origin, entre outras, aplicando ao Direito Digital, onde posso prestar assessoria jurídica para as empresas se ajustarem de forma preventiva aos riscos de atos ilícitos praticados no mundo digital.

Mudar de profissão aos 50 anos é muito difícil, mas comprovadamente não é impossível, demora muito tempo para que o mercado entenda sua mudança e passe a confiar novamente naquele profissional que fez carreira em outra área de atuação.

Quase 11 anos se passaram de muito estudo, palestras, aulas em faculdades, escolas de ensino médio, entrevistas, tudo para que me vissem como advogado ativo e preparado para o mercado.

Somente agora posso olhar para trás e comemorar colhendo os frutos desta persistente decisão, que confesso, foi permeada de momentos de desespero, cansaço, as vezes por questionamentos, outras por falta de recursos e outras por medo de não conseguir chegar ao final do curso de 5 anos com a certeza que tenho agora, de ter encontrado a profissão que realmente me motiva, me mantém atualizado e me desafia para alcançar uma aposentadoria longeva e digna que todos almejam e tem direito.